ENTREVISTA: @afrocaminhão

janeiro 04, 2021

 por: Thaís Herculano. 

Em suas obras, Lívia Ferreira, a @afrocaminhao, mostra a potência que existe no amor. São histórias com trilha sonora, que aquecem o coração de quem lê e dão protagonismo à mulheres que fogem do padrão. 

Hoje já é possível encontrar algumas obras da Lívia publicadas, seja na Amazon ou no Wattpad, mas isso só aconteceu em 2019. Siga o fio para saber mais sobre a autora. 

CADÊ LGBT: Vi no seu site que a escrita começou na sua vida como um hobby. Como foi isso?

LÍVIA: Isso mesmo! Eu escrevia com a intenção de me distrair e desabafar, tive um blog chamado "Pensamentos sobre a mesa" e lá eu postava alguns textos sobre meu dia a dia, nada profissional.  Só em 2019 que tomei coragem pra colocar o NODI no Wattpad e me assumir enquanto escritora.

CADÊ LGBT: Como foi a transição para a escrita como profissão?

LÍVIA: Foi um processo complicado. Eu não queria assumir que escrever poderia ser a minha profissão porque não confiava tanto nas minhas histórias, mas tive a sorte de encontrar pessoas que me incentivam e me mostraram que é necessário colocar histórias no mundo, principalmente de amor.

Joguei no twitter que tinha vontade de colocar lésbicas em um conto de natal vivendo algo clichê e as meninas me pediram pra escrever.

CADÊ LGBT: Tem um “vem aí” pelo Se Liga Editorial. O que dá pra adiantar sobre isso?

LÍVIA: Siim! Vem um romance muito leve e especial pela Se Liga! Consigo adiantar que se passa em uma cidade criada especialmente pra essa história, com personagens negras e caminhoneiras. Também posso dizer que quem gosta de romances universitários vai ficar com o coração quentinho.

CADÊ LGBT: Vai rolar conto de Natal. Por que você decidiu escrever sobre essa data?

LÍVIA: Na verdade foi muito engraçado porque eu joguei no twitter que tinha vontade de colocar lésbicas em um conto de natal vivendo algo clichê e as meninas me pediram pra escrever, então eu pensei: É, com certeza é uma boa ideia! O natal é uma celebração sobre amor e acho justo!

CADÊ LGBT: Qual é a sua relação com as redes sociais, especialmente com o twitter?

LÍVIA: As redes sociais me ajudaram bastante na divulgação do meu trabalho e meu público veio do twitter, então tenho uma relação de amor e ódio com a plataforma rs. Em relação ao instagram, tô tentando me adaptar ainda. A promessa pra 2021 é ser mais ativa lá do que no twitter!

CADÊ LGBT: Todas as suas obras têm trilha sonora?

LÍVIA: Toooodas! Rsrsrs. Decidir a trilha sonora faz parte do meu processo criativo e só consigo desenvolver os capítulos quando escuto a música relacionada a eles. Meio doido, né? Eu gosto que as pessoas escutem e se lembrem de cenas específicas, como um filme mesmo.

CADÊ LGBT: Qual é o papel da música na sua vida?

LÍVIA: O meu pai era músico, então eu fui criada em um ambiente musical, sabe? Eu sempre estive rodeada de músicos, tinha os churrascos de domingo, os sambas que eu ouvia com ele na sala. A música é a minha segunda paixão, se eu não fosse escritora trabalharia com isso com certeza!

CADÊ LGBT: Que tipo de música você mais ouve?

LÍVIA: O que eu mais ouço no momento é Rap nacional, R&B, samba. No dia a dia varia muito, depende do meu humor. Tenho dias de funk e dias de modão, tipo Chitãozinho e Xororó rs. tivaram e me mostraram que é necessário colocar histórias no mundo, principalmente de amor.

CADÊ LGBT: Tem um “vem aí” pelo Se Liga Editorial. O que dá pra adiantar sobre isso?

LÍVIA: Siim! Vem um romance muito leve e especial pela Se Liga! Consigo adiantar que se passa em uma cidade criada especialmente pra essa história, com personagens negras e caminhoneiras. Também posso dizer que quem gosta de romances universitários vai ficar com o coração quentinho.

CADÊ LGBT: Vai rolar conto de Natal. Por que você decidiu escrever sobre essa data?

LÍVIA: Na verdade foi muito engraçado porque eu joguei no twitter que tinha vontade de colocar lésbicas em um conto de natal vivendo algo clichê e as meninas me pediram pra escrever, então eu pensei: É, com certeza é uma boa ideia! O natal é uma celebração sobre amor e acho justo!

CADÊ LGBT: Qual é a sua relação com as redes sociais, especialmente com o twitter?

LÍVIA: As redes sociais me ajudaram bastante na divulgação do meu trabalho e meu público veio do twitter, então tenho uma relação de amor e ódio com a plataforma rs. Em relação ao instagram, tô tentando me adaptar ainda. A promessa pra 2021 é ser mais ativa lá do que no twitter!

A música é a minha segunda paixão, se eu não fosse escritora trabalharia com isso com certeza!

CADÊ LGBT: Todas as suas obras têm trilha sonora?

LÍVIA: Toooodas! Rsrsrs. Decidir a trilha sonora faz parte do meu processo criativo e só consigo desenvolver os capítulos quando escuto a música relacionada a eles. Meio doido, né? Eu gosto que as pessoas escutem e se lembrem de cenas específicas, como um filme mesmo.

CADÊ LGBT: Qual é o papel da música na sua vida?

LÍVIA: O meu pai era músico, então eu fui criada em um ambiente musical, sabe? Eu sempre estive rodeada de músicos, tinha os churrascos de domingo, os sambas que eu ouvia com ele na sala. A música é a minha segunda paixão, se eu não fosse escritora trabalharia com isso com certeza!

CADÊ LGBT: Que tipo de música você mais ouve?

LÍVIA: O que eu mais ouço no momento é Rap nacional, R&B, samba. No dia a dia varia muito, depende do meu humor. Tenho dias de funk e dias de modão, tipo Chitãozinho e Xororó rs.


OBS: A entrevista foi publicada em novembro de 2020.

Talvez você goste

0 comentários